Vida de um Desenhista da Marvel

janeiro de 2019

por Carol Bertholini

Conheça a trajetória de RB: santista, ilustrador quadrinista, profissional realizado.

Nascido e criado em Santos, Rubens Bernardino da Silva, também conhecido como RB, já sabia desde muito novo o que queria fazer da vida. Com apenas onze anos, em uma aula sobre profissões, o artista profetizou ao comentar com uma amiguinha da escola sobre o que gostaria de ser quando crescesse: desenhista!
    Como toda criança os desenhos animados, as histórias de vilões e super-heróis, faziam parte da rotina. Mas o interesse ia além. Assistir aos desenhos favoritos e se imaginar na pele de protagonistas como Super Homem, Flash, Batman, foram ingredientes fundamentais na receita desta história.

Comecei a desenhar profissionalmente em 2008 depois de passar dois anos estudando em uma escola de artes em Santos. Logo no inicio eu iniciei no mercado Norte Americano de Comics em uma editora pequena chamada Studio 407.

    

O trabalho e a dedicação, além do talento nato, fizeram com que, no mesmo ano, RB conseguisse uma ponta em um quadrinho da Marvel.

Esse foi meu primeiro contato com um dos maiores estúdio de quadrinhos Norte Americano. No ano seguinte eu consegui chegar a DC Comics.

    Logo no primeiro projeto, o quadrinista foi convidado a trabalhar em uma edição de comemoração do Superman.

Em seguida me foi oferecido um contrato de exclusividade no estúdio que me faria desenhar para DC pelos próximos 6 anos. Hoje eu tenho dez anos de carreira desenhando para os EUA".

    Há quatro anos RB atua como profissional exclusivo de estúdio da Marvel. Para ele, estrear na profissão não é mais um desafio considerado impossível.

O grande lance hoje é conseguir se manter sendo publicado. Para entrar na área você pode contar com o serviços de agências de talento que tem como papel te representar para esses grandes estúdios. Mas eles só fazem uma pequena parte. É você que precisa se reinventar e inovar para se manter nesse mercado tão competitivo.
    A área, de fato, não é das mais fáceis. Mas o Brasil tem apresentado um cenário diferente nos últimos anos.

Você procura artistas qualificados, mercado de publicação autora, e hoje este quadro é fortíssimo. Estúdios como Mauricio de Souza, hoje, trabalham como publicações mais adultas, com arte e roteiros mais maduros. Estou gostando muito do que vejo e a tendência é que os quadrinhos continuem a crescer.

    O fato é que não é uma profissão fácil. Então nem adianta romantizar a vida do quadrinista para não se iludir.

E como tudo na vida, a profissão tem seus lados negativos e positivos. O lado negativo é a solidão. O quadrinista é um profissional solitário que passa horas e horas em frente a uma prancheta, estruturando uma página. A vida social muita vezes acaba sendo prejudicada. Mas quando a gente ama o que faz o lado positivo compensa.

Para ele, a possibilidade de criar, e se conectar à pessoas de todo mundo, é algo inspirador.

Imaginar que um garoto, do outro lado do atlântico, está se divertindo com os quadrinhos que eu crio, saber que pude ajudar ama garota a se decidir quanto a profissão, e ser referência e inspiração para aspirantes e profissionais da área, é mágico!

    Em toda esta caminhada a participação e o apoio da família foram determinantes.

Éramos eu, minha mãe e minha irmã. Desde os doze anos eu já trabalhava para ajudar em casa. E sempre me senti apoiado, incentivado e fortalecido pela minha família.

    Lembra daquela "amiguinha" que surgiu no primeiro parágrafo do texto? Sim, aquela que ouviu o RB contar, ainda menino, que queria ser desenhista quando crescesse. Pois é. Essa amiguinha também tem grande importância neste caminho. Ela se chama Gabriela, e além de uma grande amiga, tem uma importância muito especial na vida do quadrinista.

    Quando eu ainda era um aspirante à profissão, foi a Gabi que me aconselhou a pesquisar sobre a área e ver se era possível viver trabalhando com isso no Brasil. De amiga, passou a ser namorada. Hoje ela é a minha esposa. E sem ela, o RB simplesmente não existiria.

    A relação já dura quatorze anos. Um fortalecendo, apoiando e incentivando o outro.

Para aqueles que têm interesse na área, a dica principal é estudar.

A primeira coisa é procurar um curso. Desenhe em casa, ou onde for possível, todos os dias. Você precisa praticar e repetir o tempo todo. Desenhar não se trata só de ter imaginação, mas também conseguir passar o que você pensa para o papel. Quando estiver confiante procure agencias de talentos espalhadas pelo país. Eles irão avaliar seu portfólio e te guiar para o mais próximo do seu sonho. Mas lembre-se que você faz toda a diferença, e isso só vai depender de você! Não desanime com as criticas, escute e tire proveito positivamente disso. Não sera fácil, mas é possível! Eu consegui.

Versão Impressa

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo