Salt Lake City

janeiro de 2019

por Bruna Pavanato

Gustavo Rodrigues é um santista que vive em Salt Lake City desde 2007. A cidade, considerada a capital da Igreja Mórmon no mundo, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, guarda fortes traços culturais dos pioneiros desbravadores destas terras, que eram exatamente da Igreja Mórmon.

    Salt Lake City, ou Salt Lake como costumam chamá-la, é a cidade com maior população e a capital de Utah, estado norte-americano. A localização se dá na região do Grande Lago Salgado, de onde provém o nome do município, pois, Salt Lake, quando traduzido para português, significa Lago Salgado.

    Muitas Igrejas espalhadas, restaurantes que fecham aos domingos e proibição da venda de bebidas alcoólicas em mercados comuns são algumas das  características que tornam Salt Lake, uma cidade ímpar dentro dos Estados Unidos, uma verdadeira atmosfera de tradicionalismo em meio à um país tão liberal quanto a certos temas.

Esse é um dos motivos que torna Salt Lake tão interessante. Preservar tanto a cultura de seus antepassados, que por aqui, cravaram suas bandeiras,
comenta Gustavo.  

    Antes da mudança, ele era músico e tocava na noite santista. Começou a praticar Jiu Jitsu na equipe de Integração nos anos 90, e anos mais tarde, uma proposta mudou totalmente sua vida.

 Sempre gostei de ajudar meu mestre e meu professor nas aulas e foi aí que descobri o que eu realmente queria como profissão. Então em 2007, recebi um convite para dar aulas aqui em Utah, para uma equipe de MMA. Relutei um pouco para vir, mas com um empurrãozinho dos meus amigos, Marcus Vinicius (Miggs), Erlen e de um parceiro de treino, irmão que a vida me deu, o professor Leandro Silvestre (Lesma), acabei abraçando a aventura, relembra.

    Como todo começo, Gustavo teve que aprender a se habituar com as diferenças.

Cheguei com um vocabulário bem básico, mas como eu tinha que dar aula todos os dias, fui me acostumando e assimilando melhor as frases em inglês. Comecei com os movimentos e palavras correspondentes a anatomia do corpo. Logo já consegui me adaptar e entender os alunos. O que me ajudou foi que eu não tinha vergonha de falar errado ou soltar um sotaque engraçado. Pedia para que me corrigissem,    afirma.

    Outro ponto que o professor teve que se ambientar foi o clima, já que os verões são quentes e secos, ao contrário de Santos e os invernos são bem intensos.

Aqui faz muito, muito frio e quando neva, é pra valer. E a neve de Utah não é qualquer neve. Devido à sua consistência única e macia, a neve do estado é conhecida como "a melhor neve da face da Terra”. Um verdadeiro paraíso para jogos de inverno, tanto que Salt Lake foi sede dos 19º Jogos Olímpicos de Inverno, em 2002,     conta.

     Mas mesmo com as baixas temperaturas, o turismo não se limita nem um pouco. Além das várias atividades disponíveis aos visitantes nos espaços olímpicos, a região de Salt Lake oferece muitas outras atrações.

O estado de Utah faz divisa com Nevada, Arizona, Idaho e Wyoming, promovendo acesso a Las Vegas e vários pontos turísticos interessantes como desertos e montanhas com paisagens lindas e muita vida selvagem. Se você subir por uma hora pelas montanhas por aqui, você facilmente cruzará com animais como pumas, ursos, alces e outros. No inverno, várias estações de esqui e no verão muitos esportes Outdoor como Mountain Bike, Alpinismo e Hicking. Lembrando que aqui também é uma região de muitos lagos, o que torna o estado de Utah inigualável para quem gosta de náutica e esportes aquáticos,     completa.

    E se você acha que acabou por aqui, está muito enganado. De acordo com o santista, a própria Salt Lake City, oferece uma extensa bagagem cultural para quem quer desfrutar de anos de histórias.

Como abordado no começo, foram os mórmons que, fugindo da perseguição religiosa, vieram para cá, fundaram a cidade e praticamente ergueram tudo que aqui hoje encontramos. Ruas, templos, atrações, cinemas, referências, trabalho, praticamente tudo em Salt Lake remete aos mórmons. E é preciso reconhecer que eles fizeram um bom trabalho. Posso dar como exemplo o Capitólio e O Templo Mórmon da Temple Square, paradas obrigatórias, para quem vier  “turistar” por aqui,     opina.

    Gustavo não pensa em voltar a morar no Brasil por enquanto, mas visita a família e os amigos algumas vezes ao ano.

Sinto falta de todos e sempre que possível vou matar a saudade, mas atualmente tenho 4 academias localizadas em diferentes cidades próximas daqui. É correria, mas é muito gratificante. Aproveitando o embalo, mais um assunto que gostaria de abordar, é a qualidade de vida e o conforto que tenho aqui. Nada muito luxuoso, mas não teria o mesmo aí no Brasil. Especialmente na área em que atuo, que além de mal valorizada, está bem saturada em campo de trabalho. Resumindo, é difícil ter sucesso com o esporte por aí,    revela.

    Segundo ele, Salt Lake será um destino memorável para quem for conhecer.

E até mesmo morar! Um estado excelente em segurança, com um policiamento altamente eficaz, sem falar na população extremamente amistosa e acolhedora. Quem tiver a oportunidade de vir, não se arrependerá. E claro, deixo meu convite a todos para conhecerem nossas escolas de Jiu Jitsu - GRBJJ  e treinar com a gente!,     finaliza.

    Pode contar com a equipe ZT, Gustavo! Será um prazer te visitar e explorar tantos lugares incríveis.
E vocês, leitores? Bora pra Salt Lake?  
 

Versão Impressa

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo