Kelvin Hoefler

agosto de 2014

por gerente

Um dos maiores skatistas do mundo, tri-campeão mundial de Street.

A Zerotreze bateu um papo com ele para descobrir o que esse guarujaense que vivia quebrando na Palmares tem!

 

Nascido em Itanhaém, cresceu e começou a andar de Skate no Guarujá aos nove anos de idade. Atualmente passa grande parte de seu tempo em Los Angeles na Califórnia, a sede do skate mundial. “Vivo no exterior porque é onde estão as competições, os melhores picos de rua pra filmar e os melhores Skate Parks pra se divertir. Mas vivo no Guarujá também, fico entre Estados Unidos, Europa e Brasil”, revela Kelvin. Participou do primeiro circuito mundial em 2011 pela WCS (World Cup Skateboarding) e ficou em primeiro do ranking, fato que se repetiu em 2012 e 2013.

“2012 foi um ano bem difícil pra mim, pois estava machucado, mas mesmo assim consegui trazer o título ao Brasil”, revela.

Os skatistas daqui dizem que pra se dar bem no skate é preciso morar fora. Será que teria alcançado as mesmas conquistas se tivesse ficado por aqui?

“Concordo totalmente, o Brasil ainda deixa muito a desejar referente ao skate. Acredito que o país tem o potencial de tornar os profissionais brasileiros nos melhores, o problema é que os empresários das marcas no Brasil só dão incentivo a outros esportes e deixam de lado o skate. Acredito que muitos skatistas brasileiros param de andar de skate, mesmo que com muito talento porque se sentem desmotivados. Eu conheço muitos. Todos os skatistas brasileiros que estão em alta ou que são grandes nomes do skate nacional já viajaram ou moraram fora”, confirma a tese.

Como são os treinos? “Ando de skate todos os dias seja na rua, nas pistas ou em competição. Gosto de descobrir picos novos onde eu estiver. Quando estou em Los Angeles gosto de andar na pista Berrics e na nova pista de Huntington Beach. Sem contar as escolas, mas aí só nos finais de semana que dá pra andar. No Brasil ando no meu Skate Park, a Skate Club, e em Santos tem bastante pico de rua também. Cresci andando na Palmares e no píer, pois no Guarujá nunca teve pista de skate”, afirma.

Como foi a ideia de montar um Skate Park em Vicente de Carvalho?

“Acredito que o sonho de todo skatista é ter uma pista decente pra andar de skate. Eu e o meu sócio Alyson Dorgo encontramos um galpão para alugar perto de casa e foi um sonho que tínhamos desde criança. Estudamos as possibilidades e resolvemos alugar e construir a pista”.

Pretende fazer algum projeto social no Skate Park? “Estamos com projetos sociais em andamento para as crianças carentes, mas ainda não temos condições, pois precisamos manter a pista, já que a cidade não deu nenhum apoio. Estamos a procura de patrocinadores pra ajudar na pista para podermos focar nestes projetos. Fomos roubados duas vezes, entraram por trás e fizeram um buraco gigante na pista, roubaram nossas ferramentas pessoais com as quais construímos a pista e levaram também todos os skates que usamos nas escolinhas”, lamenta.

“Estamos tentando construir um local saudável onde possamos tirar as crianças da rua e ensinarmos um esporte saudável, só precisamos de mais apoio tanto da população, do município e também dos empresários”, solicita.

Existe algum jovem talento que chama a sua atenção aqui na Baixada Santista? “Sim, existem muitos moleques andando muito bem na Baixada e espero que agora com a Skate Club também possamos criar alguns nomes no cenário brasileiro e internacional de skate como o caso da Drop Dead no Sul, que fez vários campeões mundiais e também muitos skatistas de peso do Street que cresceram andando na pista da Drop e hoje são reconhecidos no mundo todo”, idealiza.

Quais seus planos para o futuro? “O futuro pertence ao futuro, estou focado no presente e nas coisas que estão acontecendo na minha vida agora. Vou continuar vivendo da mesma forma que eu tenho vivido até hoje, sendo uma pessoa honesta e de bom caráter e andar de skate é o que me importa. Nas ruas, nas pistas, nos bowls, ladeiras onde for!”. Seu próximo grande desafio será a terceira etapa do circuito mundial em julho no Canadá.

Manda um recado pros leitores da Zerotreze? Em especial para aqueles que sonham ser skatistas bem sucedidos como você? “Que continuem andando de skate e nunca desistam dos seus sonhos. Sejam honestos e nunca tirem vantagem do próximo, pois o munda dá muitas voltas”, aconselha.

“Cada dia é um desafio novo! O importante é o que o skate sempre ensina: Caiu 30 vezes? Então levante-se 31!”, incentiva.

Hoje com apenas 20 anos, pretende andar de skate enquanto suas pernas conseguirem. “Tony Hawk tem mais de 50 anos e ainda anda de skate. Idade não é problema pra skatista”. Ainda bem! Sucesso, Kelvin!

Skate Club no Guarujá:
Aberto de terça a domingo das 12h às 22h.
Endereço: Av. Santos Dumont, 1690 – Vicente de Carvalho
Telefone: (13) 991529080 ou ID 91*123821
Valor da entrada: R$ 5 por hora ou 2 horas por R$ 8.
Há também escolinha de skate.

 

 

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo