Bike Fixa

agosto de 2014

por Evelyn Cheida

Creditos: 
Imagens: Tom Leal

Um jeito diferente de pedalar. Conheça a modalidade Pinhão Fixo.

O grupo Fixa Santos se reúne semanalmente na cidade
 

Já ouviu falar em bike de catraca fixa? Na verdade o termo correto é pinhão fixo. São bikes que migraram do velódromo, aquela competição de ciclismo que se dá em circuitos ovais. Essas bikes são diferentes das comuns pelo fato de você não poder parar de pedalar. Existe um grupo de Santos no Facebook com 125 pessoas, sendo que destas, 20 se juntam semanalmente para pedalar. “O grupo é o Fixa Santos. Todas as quartas saímos às 21h da Praça das Bandeiras e ali mesmo definimos o percurso, geralmente por volta de 30km”, revela Julio Domingues, coordenador pedagógico e praticante da modalidade.

“O pinhão é fixado ao cubo e não tem como parar de pedalar como em uma bike comum, caso queira descansar a única maneira é pedalar mais devagar”, explica. “Pra frear tem algumas maneiras, mas a mais comum e mais estilosa é o que chamamos de Skid”, comenta.

“A pessoa que está pedalando deve forçar a perna no sentido contrário a pedalada, mas com muita força, pois a bike está com toda força e velocidade pra frente. Temos o rolê fixo de quarta, mas às vezes nos reunimos até cinco vezes por semana. Nos outros dias, gostamos de fazer brincadeiras com Skid”, diz Julio.

Essas bikes tem um preço salgado, podendo custar de mil a dez mil reais. “Aqui no Brasil é um pouco difícil, em poucos lugares se encontra peças, mas o bom é que muitas são peças comuns. As mais específicas compramos em São Paulo ou pela net em lojas do Rio de Janeiro e do Sul também. Muitas vezes do exterior”, afirma Julio.

Mas o que o levou a se interessar por isso? “Sempre andei de bike. Fiz BMX, Downhill, sempre pedalei. Aí descobri essa bicicleta de baixa manutenção e alta velocidade”, relata. Que tipo de campeonatos essa modalidade tem?

“Existem vários tipos, os criterium, que são circuitos fechados (cercados) em ruas, com regulamento. Tem os alleycats, que são corridas sem traçado determinado e se corre no meio do trânsito. Tem os sprints, que são corridas de arrancada. No Brasil temos competição de skid e de trackstanding”, esclarece.

Qual a origem destas bikes? “São bikes de competição que foram levadas pra rua. Dizem que pelos imigrantes caribenhos que mudaram pra Nova Iorque e sem grana e sem trabalho, montavam essas bikes devido ao baixo custo de manutenção. Com elas começaram a entregar encomendas”, revela. “Pelo número reduzido de peças, não tem freios, marchas nem cabo algum, a bike de pinhão fixo é de baixo custo de manutenção. Só o que pode dar errado seria furar um pneu”, avalia Julio.Ficou curioso? Se liga nesses vídeos do Youtube:

Line Of Sight - Lucas Brunelle
Purefix bicyclesState Bicycle Co.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo