Portugal

dezembro de 2017

por gerente

Por Bruna Pavanato Fotos: Arquivo Pessoal

ZT Pelo Mundo

Matéria referente a Junho - Julho - Agosto - 2017

São muitos os motivos para os brasileiros se apaixonarem por Portugal. São tão fortes e incontáveis os laços que nos unem que a visita pode acabar sendo uma jornada à terra-mãe, mesmo para aqueles que não descendem de portugueses.  

Esse não é o caso do santista Luiz Antônio Francisco Plácido, de 40 anos. Ele é fruto de uma união totalmente portuguesa, mesmo sendo fidelizada no Brasil. "Minha mãe é de Lousã e meu pai de Celorico da Beira. Ambos foram tentar a vida em Santos, até que se conheceram, se apaixonaram, e eu nasci", relembra. 

Com uma trajetória repleta de altos e baixos, Luiz conta que após a morte do pai, ele e a mãe passaram por dificuldades extremas, ao ponto de serem despejados do local onde moravam. "Era só eu e ela, e nos virávamos como dava. Nessa época, meados de 1998, fiz minha primeira faculdade com a ajuda do meu ex-sogro, que bancou o começo. Entrei na Unisanta que viria a ser a minha segunda casa, no curso de Publicidade e Propaganda. Logo depois, consegui um estágio no antigo programa Cadeira Cativa. Fiquei na Santa Cecília TV, por mais de dez anos, onde passei por todas as fases de trabalho dentro de uma emissora que acabou por me dar base para o futuro. Entrei fazendo áudio, depois GC, produção, câmera, edição até chegar em Diretor de Imagens”, comenta.

Em 2000 seus avós faleceram, deixando uma herança para a família. Com o valor recebido, Luiz e sua mãe decidiram deixar a vida de trancos e barrancos por aqui e partir rumo a Portugal. Trancou a faculdade e entrou na Universidade de Coimbra como estudante Erasmus, um programa para alunos estrangeiros, onde estudou por um ano. Quatro anos mais tarde, depois de muitas reviravoltas, ele resolveu cursar jornalismo. “Acabei expandindo algumas experiências também. Trabalhei como garçom em um hotel, em estacionamento de discoteca, recolhia copos em baladas. Não media esforços. É claro que tinha o lado bom. Lembro-me que nessa época, eu ficava com uma bartender que compartilhava o mesmo horário de trabalho que o meu. Quando recebíamos o pagamento, escolhíamos uma praia e passávamos o domingo torrando toda a grana”, brinca. 

Apesar das boas aventuras, não era aquilo que ele queria e acabou retornando novamente para Santos e para a Santa Cecília TV. Se formou com sucesso em jornalismo, realizando um TCC memorável. “Fiz uma série caseira sobre Portugal, que rendeu oito programas. Apresentei, aprendi a editar e a TV adorou e colocou no ar. Passaram a me reconhecer na rua e tudo mais. Foi bem legal”, afirma.

Com o projeto tomando forma cada vez mais, Luiz disponibilizou o programa em DVD para venda. "Vendi quase 70 unidades, então acreditei que as pessoas realmente tinham gostado, o que acabou despertando outro projeto. Fiquei três anos em Portugal, filmando 112 lugares do país (2008, 2009 e 2010). Ambicionava fazer a maior série de TV independente já feita sobre ele. Foram 264 horas de imagem”, explica. 

De acordo com o santista, algumas TVs tiveram interesse em veicular, mas durante esse cinco anos criando a série, a tecnologia se revolucionou, e a fita passou a ser HD, fazendo com que ele perdesse tudo. “No fim, os vídeos foram para o YouTube. Somaram quase 500 mil visualizações, mas depois de um tempo, a mídia passou a cortar os vídeos por conta dos direitos autorias das músicas. Foi aí que resolvi desistir de tentar viver disso e vir morar de vez em Portugal onde tenho uma qualidade de vida muito melhor”, garante. 

Ainda bem que o mundo dá voltas. Em 2013, Luiz entrou no Mestrado de Comunicação e Jornalismo na Universidade de Coimbra. Terminou o primeiro ano sem reprovar e quando foi fazer a Tese de Mestrado, na primeira reunião que teve com a sua orientadora, Dra. Clara Almeida Santos, que também era reitora da Universidade, a mesma ela lhe fez uma proposta que iria mudar tudo. "Não sei como ela já tinha visto meus vídeos na internet e me propôs que fizesse como Tese de Mestrado uma série em vídeos sobre os 15 Patrimônios da UNESCO em Portugal. Topei na hora!”, exclama.

Deu tudo tão certo, que duas emissoras quiseram veicular, a Travel Box Brazil de Porto Alegre e a Santa Cecília TV. A série obteve uma aceitação enorme do público que reprisa até hoje e rendeu uma segunda temporada, cuja previsão de estreia é julho desse ano. “Em paralelo a isso, como não tenho mais o que filmar em Portugal, abrirei uma Agência de Turismo em Lisboa. Pretendo levar os visitantes brasileiros em passeios que mostro nos vídeos dos programas”, revela.

Se você está pensando em ir para lá, já sabe quem procurar. Mas antes, pelas palavras do próprio Luiz, vamos te mostrar um pouquinho desse país maravilhoso.

Qualidade de vida?

“A qualidade de vida é excelente em Portugal, muito superior a nossa. Você ganha pouco em relação aos outros países, um salário mínimo gira em torno dos 600 euros, mas com esse valor você consegue alugar algo para viver, fazer compras e pagar suas contas. Com pouco se vive bem feliz por aqui. Já pensei muitas vezes em sair para outro país, mas sempre chego a conclusão de que Portugal é perfeito. Temos a facilidade da língua, apesar de todos falarem inglês, literalmente todos, pois qualquer trabalho básico requer o idioma, o sotaque português não é nada difícil de se adaptar. Temos uma culinária fabulosa e muito semelhante a nossa. Metade do país é praia e quase todas tem onda para surfar. Possuímos pelo menos de quatro a cinco meses de calor e sol, verão de verdade. É de fato um país fantástico e lindíssimo, com muito eventos e com uma das capitais que mais cresce na Europa, a estonteante Lisboa.”

Turismo?

“Portugal possui um belo litoral, onde a prática de golfe, windsurfe, pesca e surfe como já comentei, combina bem com vilas, spa e resorts de primeiríssima linha. Nos arquipélagos oceânicos de Madeira e Açores, você pode praticar vela e mergulho, além da observação das baleias e degustação de pratos maravilhosos. É um destino bem bacana para crianças também, pois elas podem conhecer um país estrangeiro com vários pontos que ligam à história do Brasil, como o Palácio de Queluz, onde nasceu e morreu Dom Pedro I. O Oceanário de Lisboa também é incrível, assim como os castelos históricos, palácios e mosteiros que estão espalhados por todo o país e misturam influências étnicas e culturais, desde os mouros até os romanos. que vão dos mouros a tribos germânicas, dos celtas aos romanos.”

Recomendações?

“Se você tem vontade de mudar de país para tentar a vida em outro lugar, Portugal é o lugar ideal, mas saiba que para isso você deve seguir a risca. Tudo conforme as leis mesmo. Se não tiver visto apropriado ou cidadania, você não vai conseguir emprego. Pode ser que arrume algo aleatório, mas corre o risco de chegar no final do mês e nem receber salário.  Correndo pelo certo, tudo fluí e você consegue ter uma qualidade de vida bem melhor.  Se arrisque sim! Eu sempre tive horror a ideia de nascer, viver e morrer no mesmo lugar, o mundão é grande, é lindo e vale muito a pena ser explorado. Se você já tiver cidadania, faça as malas agora e venha para Portugal.  Esse país com certeza irá te encantar!  Acompanhe a série na Travel Box Brazil e venha passear conosco na Destino Portugal Viagens:  www.destinportugal.pt 

Versão Impressa

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo