Zimbra

dezembro de 2017

por gerente

Por Evelyn Cheida Fotos: Arquivo Pessoal
Matéria referente a Setembro - Outubro - Novembro - 2015

Música autoral e brasileira. Sem rótulos ou gêneros, a Zimbra procura misturar estilos, principalmente MPB dos anos 70 e 80. Com toda essa despretensão, conseguiram tocaram no último festival Lollapalooza. “Foi uma experiência surreal, algo que víamos distante pro momento que nos encontramos agora, de ascensão da banda”, afirma o vocalista e guitarrista Rafael Costa.

“Participamos de um concurso que A Rádio Rock de São Paulo fez, onde eles escolheriam uma banda para tocar na edição do Lolla de 2015. Entre milhares de bandas que participaram nós ficamos extremamente felizes quando fomos selecionados”, garante. Zimbra é uma gíria que não tem ao certo um significado, pode ser algo bom ou ruim. “Achamos outras respostas ao decorrer do tempo, em africano, por exemplo, ‘zimbrar’ significa timbrar o tambor. E tem uma música do Talking Heads também que se chama I Zimbra’’.

As músicas são composições de Rafael, que procura não seguir nenhuma linha. “Escrevo o que tenho vontade. Mas a maioria das canções não são autobiográficas, eu sempre procuro criar um personagem para cada música, costuma funcionar bem quando escrevo”, revela.

A história da Zimbra começou em 2007, com Rafael, Vitor Fernandes na guitarra e mais dois amigos em Santos. Após uma troca de nomes, no final de 2011 chegaram Pedro Furtado na bateria e Guilherme Goes no baixo. Nessa formação a banda lançou o seu primeiro EP, "Cronograma", com ótima aceitação de público e crítica.

Em 2013 a banda lançou um álbum com 12 faixas, intitulado "O tudo, o Nada e o Mundo", produzido pelo renomado produtor Lampadinha, vencedor de dois Grammys por trabalhos com bandas como o Charlie Brown Jr, Los Hermanos, Titãs, entre outros. Desde então, a Zimbra vem se apresentando nas principais casas do estado de São Paulo e de toda a região Sudeste, com bandas como O Teatro Mágico, Nasi (Ira!), Forfun, Scracho, Dibob, Fresno, Strike, Aliados, Detonautas e Natiruts.

No ano passado a Zimbra lançou um novo EP com três faixas, chamado "Mocado". Com forte referência no som brasileiro dos anos 70, o EP traz uma Zimbra revigorada e mais madura. O som está disponível em sites como iTunes, Deezer e Grooveshark. “Temos sede de música e vontade de sobra. Viemos para trazer esperança aos fãs que apreciam e acreditam em um trabalho autoral de qualidade. A música brasileira se faz rica novamente", afirma Rafael Costa. Tire suas conclusões em: https://www.youtube.com/user/bandazimbra

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo