Fildzz

novembro de 2017

por gerente

Aliados da música popular caiçara

“Sonhar, Viver e Todo Dia Agradecer”, em algum momento de sua vida, esta frase, sem dúvida, foi usada como fonte de inspiração. E não é atoa que os milhares de fãs da Banda Aliados, ecoam este grito de guerra por onde passam. O responsável por isso, Gustavo Fildzz, tem muito orgulho de ser essa fonte de inspiração para diversas pessoas.

A história do vocalista da banda Aliados se descreve basicamente nessa frase. Tudo começou em um tablado de ginastica olímpica, para anos depois, percorrer os palcos do Brasil e do Mundo.

Gustavo tem 38 anos e em uma conversa descontraída falou sobre suas escolhas, sempre cheias de positividade, harmonia... e desafios.

Quando criança escolheu a ginástica como opção de vida. Participou dos jogos Pan-Americanos e Sul-Americanos, e foi campeão brasileiro e paulista de ginástica artística. Um atleta experiente, que acumulou bastantes títulos, pois começou a competir aos 11 anos. E, por várias vezes, teve de lidar com a falta de incentivo ao esporte, não tão conhecido e desenvolvido como hoje. 

A musica surgiu em sua vida aos 9 anos de maneira tímida, quem apresentou e estimulou o lado artista do cantor foi sua mãe, Maria Cristina Tavares, mulher que arranca suspiros e um lindo sorriso de seu rosto. Fildzz aprendeu a tocar flauta e piano, que lhe renderam trechinhos de boas notas musicais.

Apesar de ter duas paixões para seguir carreira, ainda jovem, optou pela ginástica, e continuou firme e forte durante 11 anos, período que lhe proporcionou muitas histórias e experiências. Uma delas foi aos 22 anos, quando deixou de competir, após alguns tropeços comuns na modalidade: as temidas lesões.

Depois dos incidentes, surgiu o interesse de compor, principalmente para preencher o vazio e saudade do tablado. Foi neste momento de inspiração que veio a ideia de formar uma banda. 

Sobre suas inspirações na música, ele comenta que vinham dos amigos, dos “rolês”, de observar o próprio cotidiano e aquele típico passeio pela orla de Santos, uma caminhada, uma tarde no Quebra Mar. As letras criaram a identidade da Aliados, sempre com mensagens do bem, Fildzz confessa: “no começo, mais berrava do que cantava (risos)". O tempo foi passando as barreiras foram superadas e hoje a Aliados é conhecida por todo o Brasil.

Superação depois de um acidente de trânsito e um câncer

 Mesmo com a transição para o mundo da música, o esporte nunca saiu de sua vida: Fildzz continuava a treinar e projetava, junto aos companheiros, a sementinha do que é a Aliados, hoje. Mas, um dia, voltando para casa após um treino de ginástica, sofreu um acidente de transito onde, ele teve uma ruptura no braço. O imprevisto fez com que o vocalista ficasse um tempo afastado, mas nada que o abalasse. 

Dois anos depois, em 2004, Gustavo voltou a sentir algumas dores nas costas, e ficou preocupado, imaginando ser uma nova lesão. Por isso, fez outros exames, que diagnosticaram a presença de um câncer. "Foi uma provação, experiência e lição. Minha mãe esteve comigo nos momentos mais críticos", lembra. Ele teve de fazer três cirurgias. Após esses procedimentos, ele conta que, desde então, faz exames periodicamente para evitar novos sustos.

Mas, a vontade de viver supera qualquer medo. O vocalista ainda aproveita para dizer outra musica da banda que defini este momento: “Quem foi que disse que seria fácil, a dificuldade engradece a conquista”.

 Aliados

A banda, hoje chamada apenas de “Aliados”, tinha outro nome no início da trajetória: “Aliados 13”. Isso porque o primeiro show foi num dia 13 e, também, é o DDD da cidade de Santos, onde o grupo nasceu.

Aliados é uma família, amigos que se chamam por irmãos. A banda vai além dos acordes musicais, que atraem tantos fãs por onde passam. Também há uma preocupação com a causa social: o grupo, atualmente formado por Gustavo (Fildzz), Eduardo Cajado Golzi (Dudu), gringo da banda, influenciado pelo Rolling Stones, The PoliceSuicidal TendenciesBilly IdolStone Roses e AC/DC, Rafael Borba de Vasconcellos (Rafa), o baterista que já tocou piano e Oliver Kivitz, o baixista que também passou por vários instrumentos, fazem visitas a entidades assistenciais, sempre fortalecendo a importância da cultura do esporte, que deve ser propagada aos quatro cantos.

A banda foi formada em meados de 2000, na cidade de Santos. O nome Aliados veio naturalmente, a ideia é desde o início, mostrar a essência da banda e a cumplicidade entre os seus integrantes, muito bem traduzida em suas letras positivas e inspiradoras.

Após organizarem as primeiras composições, em 2002, lançaram o CD de estreia, “Aliados 13”, produzido por Thiago Castanho, que na época estava em hiato do Charlie Brown Jr. e acabou integrando a banda na função de guitarrista durante dois anos. A primeira música de trabalho "Sem Sair do Lugar" foi veiculada nas principais rádios do Brasil e teve o videoclipe exibido na MTV e no Multishow. Já a segunda, “Sorrindo”, foi um sucesso imediato, permanecendo até hoje um dos hinos da banda. Tamanha foi a aceitação da música, que ela foi regravada no 4º disco da banda e fez parte da trilha sonora das temporadas 2008 e 2009 da novela Malhação, fazendo também muito sucesso nas redes.

Em 2009 a banda grava a música de abertura da série "Beijo, me liga" do Multishow, e tem a música “Direto ao assunto” anexada à trilha sonora do mesmo programa.

Em 2010, foi lançado o segundo DVD da banda, intitulado "Somos todos Nós", gravado em Santos, no show de lançamento do CD com o mesmo nome, e contou com a presença de 5000 pessoas.

Um ótimo exemplo a ser seguido aconteceu em 2013, no lançamento do single virtual no Itunes da faixa “Esperança”, foi publicado no Youtube o clipe da música, cuja renda é revertida para apoio as crianças com câncer, que fazem parte da instituição Casa Ronald McDonald (São Paulo). “Esperança” fez parte da trilha sonora da novela Global “Malhação” daquele ano. Em outro manifesto em prol de um mundo melhor, o vocalista Fildzz e o guitarrista Dudu se firmaram como um dos embaixadores brasileiros da Non Violence Foundation, fundação internacional anti-violencia capitaneada pela viúva de John Lennon, Yoko Ono.

Em 2014, a música “Águas Passadas”, que ficou entre as mais pedidas e tocadas nas rádios de todo Brasil ganhou um vídeo clipe, dirigido pelo apresentador Marcos Mion e Mess Santos, produzido por Sony/Produtora 7. Além de assinar a direção, Mion contracena no clipe com Thaila Ayala.

De lá para cá, já são 15 anos de estrada e seis discos gravados - o último, de título Inoxidável, lançado em 2014.

Como todo bom artista que não desiste de seus sonhos, é claro que novos projetos vêm aí: a banda entra em trabalho de pré-produção para o lançamento do novo DVD, que dará início a uma turnê pelo Brasil. Se Santos está incluída nesse projeto, Fildzz faz mistério. “É a nossa cidade, onde tudo começou”. 

Filldzz finaliza nossa conversa com um lema de sua vida e claro dos Aliados; “ Ter fé, amar as pessoas, isso, é muito importante, pois sabemos onde estamos hoje, amanhã quem sabe”.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo