Tamboréu

outubro de 2017

por gerente

Por Bruna Pavanato Fotos: Tom Leal
Matéria referente a Dezembro - Janeiro - Fevereiro 2016/2017

O esporte mais santista de todos

Todos os dias de manhã, faça chuva ou faça sol, lá estão as quadras, com suas redes armadas na areia. É fato: jogador que se preza não perde seu tamboréu no fim de semana.

A real é que muita gente pensa: Como o santista curte um tamboréu! Mas o que talvez a maioria não saiba, é que o tamboréu é um esporte que nasceu em Santos! Quando se vê alguém praticando ou jogando em outra cidade, pode contar que é santista ou foi instruído por santista.

História 

Quer saber como/quem tudo começou? Danadellis é o sobrenome deles. Dupla Italiana que chegou à cidade em 1937 e trouxe na bagagem dois pandeiros de arco de madeira e tampa de couro, com cerca de 35 a 40 centímetros de diâmetro. Ficavam na praia, jogando uma bola um para o outro, sem qualquer quadra ou rede. 

Foi aí que a moda pegou. Um tempo depois surgiram as quadras com 20, 18 e por fim 17 metros, que é a atual. A rede usada a princípio era a de 

tênis, hoje já são feitas exclusivamente para o esporte.

Na década de 40, o esporte já era fenômeno em solo santista. As equipes, que na época só jogavam em duplas,  armavam até três quadras na praia para disputar o esporte. Uma dessas equipes era o Tupis, a primeira a ganhar o título de campeã da cidade. 

Com o tempo, as grandes equipes foram surgindo, como a Banco do Brasil, Graússas, Foi-Kik, Estudantes, Fluminense e a própria Tupis, que em 1949 passou para o Caravelas, ocorrendo uma das maiores equipes da história do tamboréu, que na época ja era disputado em três duplas. 

Cinco anos depois, foi criada a Sub-Comissão Municipal de Tamboréu, ligada à Comissão Central de Esportes da Prefeitura, dando início aos campeonatos oficiais. Foi um passo para a criação da Liga de Tamboréu. Nessa época, já havia surgido a forte equipe do Banespa e a famosa Brahm's, que, por um longo tempo, mandou no tamboréu da cidade , até seus jogadores passarem para o Fri-Kik e, em seguida, para o Internacional.

Surgiram ainda as equipes Tamoios, Portuários e a do Atlético Santista, veterano nas quadras de saibro (oficiais) e dono por um bom tempo da me

lhor quadra coberta.

Durante muitos anos foi praticado somente por homens, porém, o esporte passou a ser apreciado também pelas mulheres e crianças. Em 2002 uma escola de Tamboréu foi inaugurada no Posto de Salvamento nº 2, na praia do José Menino. A iniciativa surgiu de parceria entre a Secretaria Municipal de Esportes e a Liga Santista de Tamboréu(LST). Funciona desde então e as aulas são gratuitas.

Regras

Para entendermos as regras do Tamboréu, melhor que seja  pelas palavras de alguém que realmente entenda do assunto e pratique o esporte.

Entrevistamos o Maurício Fernandes, 46, que joga há 36 anos. Foi duas vezes campeão do mundo, em 2007 e 2009 e já fez parte de equipes como a do Atlético Santista, Portuários e Internacional. Atualmente, ele está fundando um clube, a Associação Esportiva Astrea, em parceria com uma barraca de praia no Posto 2.  “Estamos construindo um grupo e dentro dele, temos categorias a, b, c e d. Temos o feminino, o sub 12, sub 14 e sub 16 e temos também os veteranos, todos acima de 50 anos. Em competições, geralmente acontecem torneios de equipe por categoria, no mínimo de seis atletas, e tem os campeonatos de dupla, pois nem todos os clubes de Santos tem o número suficiente de competidores para torneios de equipes de categoria”, explica Maurício. 

A média gira em torno de 30 a 40 jogadores dentro de uma equipe de Tamboréu, de acordo com ele. “Equipes como o Memorial e o Ópera tem até mais do que isso, na faixa de 50 jogadores. A minha equipe Astrea, é pequena comparada a essas pois estamos começando, temos no máximo 20 jogadores”, complementa. 

‘’As regras são básicas. O tamboréu é jogado em três sets de dez pontos. Vencendo os dois primeiros acaba a partida. Em caso de empate, vai para o terceiro set e vira em cinco. Em caso de empate em nove a nove, a dupla vencedora deve ter dois pontos na frente, então vai até no máximo 16 pontos. Se chegar a ficar 15 a 15, termina em 16”, esclarece. 

Treinos

“Os treinos normalmente são feitos na praia, em barracas. Porém, clubes como o Atlético, Internacional, Portuguesa Santista e Portuários, possuem quadras de saibro, que também são usadas para treino durante a semana, na parte da noite. O Atlético, usa uma quadra coberta, um ginásio específico para o esporte, muito bonito por sinal”, conta. ‘’A quadra tem 34 metros de comprimento por 10 de largura, divida ao meio por uma rede. Os atletas ficam posicionados em cada metade da quadra. O objetivo de cada um é lançar a bola ao campo adversário sobre rede, sem que este possa devolvê-la e evitar que faça o mesmo. Os pontos são marcados quando a bola toca o chão ou nas linhas da quadra”, finaliza. 

Tamboréu fora de Santos

A modalidade está mais difundida no estado de São Paulo, possuindo além da Liga Santista, a Liga Interiorana e a Federação Paulista de Tamboréu, mas também é praticada em Brasília e no Rio de Janeiro.

Já imaginou que demais, se o esporte virasse uma modalidade Olímpica? Pois fique sabendo que a possibilidade está sendo avaliada pelo Comité Olímpico Internacional! Vamos torcer! 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo